Manaus, a capital do esporte

Potencial é uma palavra bonita, a final de contas, afirmar que se tem potencial parece dizer que é forte, potente como uma máquina. Acontece que, ter potencial disso ou daquilo ainda não é de fato. Está tudo no campo virtual do poder ser um dia. Apensar de estruturas como a Vila Olímpica e a Arena da Amazônia, em Manaus ainda vivemos no status de potencial no esporte, por exemplo.

Ao longo dos anos, a nossa cidade sempre tem se destacado, nacionalmente e mundialmente, de forma pontual, com nomes que alcançaram o topo pelo esforço próprio em várias modalidades esportivas. Nomes como o ex-jogador de futebol Ninimbergue dos Santos Guerra, que fez sucesso como meia-esquerda do Botafogo, nos anos 1980; o ex-nadador Eduardo Piccinini, que disputou as Olimpíadas de Barcelona, em 1992; o atleta Sandro Viana, que levou bronze nas Olimpíadas de Pequim, em 2008; e a nossa maior referência, José Aldo, lutador de MMA duas vezes campeão peso-pena do UFC, são exemplos da força que temos no esporte.

Para deixarmos esse espectro de ser sem ser referência no esporte, e se tornar uma cidade de resultados efetivos, com visibilidade social e econômica no país e no mundo, se faz necessária vontade política de trabalhar projetos no setor. Assim como na educação, onde o Governo Federal disponibiliza recursos do Fundeb para a valorização do professor, ele também disponibiliza um fundo dedicado ao desenvolvimento do esporte no país.

É um recurso que pode ser capitado com projetos de governo, na esfera municipal e estadual, para destravar estruturas esportivas para transformá-las realmente em postos de alto rendimento e ainda incentivar práticas esportivas em todas as zonas da cidade. Além de Capital da Amazônia, Manaus pode sim se tornar a Capital do Esporte, no coração da floresta.

Deixe uma resposta