David Almeida e Marcos Rotta têm experiência na gestão da coisa pública

David Almeida e Marcos Rotta têm experiência na gestão da coisa pública

O candidato a prefeito assumiu Governo do Amazonas, em 2017, com déficit de R$ 654 milhões, mas deixou saldo positivo de R$ 465 milhões

O candidato à Prefeitura de Manaus pela coligação Avante Manaus, David Almeida, e o seu vice Marcos Rotta (DEM) carregam nas suas bagagens experiências comprovadas na gestão da coisa pública. Aos 51 anos, com três mandatos de deputado estadual ele já foi presidente da Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas (Aleam), no biênio 2017/2018, e governador do Amazonas, no período de 9 de maio a outubro de 2018. Ex-deputado federal, Rotta é atualmente vice-prefeito de Manaus.

Depois de implantar uma gestão participativa e ajustar as contas do Parlamento estadual, onde atuou como protagonista na luta e defesa dos interesses da sociedade amazonense, David Almeida enfrentou o desafio de colocar em ordem a administração do Governo do Amazonas, que estava atravessando um período “nebuloso”, devendo fornecedores e servidores terceirizados da área da saúde.

David Almeida escalou uma equipe técnica eficiente para ajudá-lo na gestão do estado. Ele otimizou os recursos disponíveis, cortou custos, priorizou investimentos, particularmente, no setor produtivo, e conseguiu manter os pagamentos de servidores e fornecedores em dia, bem como pagar um dos maiores abonos já pagos aos profissionais da educação no Amazonas.

Volta por cima
Ao assumir interinamente o Governo do Estado, David Almeida recebeu a administração do Amazonas com um déficit de R$ 654 milhões nas suas finanças, no auge da crise econômica que abalou o país. Diante do difícil cenário, com determinação e comprometimento com a boa gestão da coisa pública, o então governador apostou em investimentos em obras públicas, com a finalidade de fazer o dinheiro voltar a circular na economia amazonense.

Como resultado da aposta em investimentos como, por exemplo, construção e recuperação de estradas e vicinais; construção e ampliação de escolas; repactuação de contratos e pagamento de fornecedores; corte de gastos; pagamento de promoção aos policiais, adiantamento do 13º para os servidores, e o pagamento do abono do Fundeb aos professores, a gestão de David Almeida colheu resultados extraordinários e ao sair do governo, ele deixou nos cofres do tesouro estadual com saldo de R$ 456 milhões em caixa para o seu sucessor.

Na gestão David, o Estado bateu uma sequência de recordes de arrecadação tributária, como a que ocorreu, em setembro de 2017, quando a receita chegou a R$ 843 milhões, superando em 14% a arrecadação de agosto, que foi de R$ 722 milhões. Em setembro de 2016, o Estado registrou um déficit de R$ 839 milhões.

“Graças ao empenho da nossa equipe e das boas ações colocadas em prática durante a nossa gestão, a arrecadação do Amazonas encerrou o exercício de 2017 contabilizando um crescimento de R$ 827 milhões”, lembra David Almeida. Ele ressaltou que os municípios amazonenses também foram beneficiados, porque, naquele ano, receberam R$ 6,1 bilhões, entre recursos estaduais e federais.

A frente da Aleam, David Almeida ajustou a vida dos servidores, com o aumento no vale-alimentação dos efetivos e comissionados e do vale-medicamento dos aposentados, assegurou o pagamento da data-base referente ao ano de 2017.

Experiências exitosas
Experiente, Marcos Rotta começou a sua vida política como deputado estadual e depois federal, tendo ocupado cargos de gestão, tanto no município quanto no Estado. Em 2016, ele foi considerado decisivo na reeleição do prefeito Arthur Neto (PSDB), que ganhou um novo gás e dinamismo em sua gestão, com a inclusão do ex-deputado federal na administração.

Deixe uma resposta