David ampliou atendimento e zerou filas na saúde quando foi governador
Delphina-100-dias-de-governo-David-Almeida

David ampliou atendimento e zerou filas na saúde quando foi governador

David Almeida ampliou atendimento e zerou filas na saúde quando foi governador

Ex-governador do Amazonas, David implantou no Amazonas plano emergencial, com prazo de 90 dias para zeras filas de exames e cirurgias

O candidato à Prefeitura de Manaus, David Almeida (Avante), traz no seu histórico de vida pública como gestor ações que favoreceram a saúde do Amazonas, tanto no atendimento à população quanto aos servidores estaduais da saúde. Os trabalhos mais marcantes do candidato da coligação Avante Manaus ocorreram quando ele esteve governador do Amazonas.

Na semana seguinte, após assumir o governo do Estado, no dia 9 de maio de 2017, David Almeida anunciou o lançamento do Plano Emergencial da Saúde, para zerar, em até 90 dias, as filas de espera por exames, consultas e cirurgias no Amazonas.

Preocupado com o bem-estar de, aproximadamente, 137 mil pessoas que naquela época estavam sendo obrigadas a esperar para realizar consultas e exames, além de outros 6.900 pacientes que se encontravam na fila para as cirurgias, David Almeida lançou o Programa batizado de “Fila Zero”.

Quando governador, David inaugurou o maior Centro Cirúrgico e Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) do Norte e Nordeste do País, no Hospital Delphina Aziz. A nova área passou a ocupar dois andares da unidade, com dez leitos de UTI, 11 salas cirúrgicas e 112 leitos de internação. Na época, ele contratou, ainda, a realização de 2.430 cirurgias eletivas no período de três meses, com o menor preço do mercado.

Diante das dificuldades que o Amazonas vivia naquele ano, em relação às farmácias da rede estadual de saúde, David Almeida, como governador, determinou, junto à Secretaria de Estado da Saúde do Amazonas (Susam), a adoção imediata de medidas destinadas a agilizar e a humanizar o atendimento básico nas unidades de saúde da rede estadual.

Uma das primeiras iniciativas do então governador David Almeida foi autorizar a liberação de R$ 22 milhões para o pagamento imediato dos salários atrasados dos servidores terceirizados de Manaus e do interior. Além disso, David determinou o imediato reabastecimento da Central de Medicamentos do Amazonas (CEMA), para cobrir a crise de medicamentos básicos pela qual passava o sistema de saúde estadual em todo o Amazonas.

Em praticamente quatro meses no comando do Governo do Amazonas, David Almeida otimizou os recursos disponíveis e colocou em prática projetos destinados à população e ainda estava atuando para melhorar a vida do servidores da saúde. No entanto, ele foi impedido por uma decisão do Tribunal de Contas do Estado do Amazonas (TCE-AM) que, à época, bloqueou os gastos do governo.

Em agosto de 2017, quando David Almeida já tinha retomado a arrecadação positiva no Estado, um deputado estadual ligado aos adversários políticos moveu a ação junto ao TCE-AM, pedindo o bloqueio de todos os gastos do Executivo estadual, sob a acusação de que os processos licitatórios e pagamentos estavam sendo feitos de forma ilegal.

A iniciativa atrapalhou a gestão de David Almeida, mas, no final, prevaleceu a verdade, e a corte do Tribunal de Justiça do Amazonas (Tjam) julgou a ação improcedente, diante da falta de comprovação das supostas irregularidades.

Na Assembleia
De volta ao Parlamento estadual, David Almeida ajudou as cooperativas médicas que buscavam apoio para conseguir receber pagamentos em atrasos da gestão estadual de 2018. As cooperativas Cooperclin, Itoam, Icea, Imed, Coopanel, Coopat, Coopanest, Igoam, Coopet, Cooap, Saap, CNA e Cardiobaby reclamavam até de falta de pagamento aos fornecedores.

Deixe uma resposta